Ilha de Itaparica

A Ilha de Itaparica fica bem pertinho de Salvador, então incluímos no roteiro, mas nos arrependemos, pois o lugar não nos pareceu bonito, pelo menos a parte a qual visitamos. Saímos cedo do hotel em Salvador para pegar o ferry boat que nos levaria até lá em 45 minutos. Conforme nos orientaram descemos em frente ao Mercado Modelo e seguimos para o terminal localizado atrás.

Como já estava no horário, compramos o ticket e fomos para o trapiche, chegando lá era um barco e não um ferry boat, descobrimos que estávamos no lugar errado, ele funcionava em outro local. Mas enfim, o barco fez o percurso em uma hora e depois de chacoalhar bastante desembarcamos no Terminal de Bom Despacho e muitos motoristas de carros, vans e outras coisas com motores cercaram a gente de forma agressiva para nos levar a uma “praia super bonita e um restaurante bacana”.

 

 Demos uma volta e estávamos na praia de Mar Grande (Município de Vera Cruz), do lado oposto de onde deveríamos estar. Perto do que estávamos esperando, ali nos pareceu ser um lugar feio e desorganizado. Um taxista disse que havia uma praia bonita então fomos até lá, mas ela não tinha estrutura, nem locação de cadeiras banheiros ou duchas. O restaurante bacana era um quiosque onde o banheiro não tinha descarga e nem torneira. E para melhorar estava chovendo e ventando.  Resumindo o passeio de praia, não deu praia.

Quando parou de chover, resolvemos andar e fomos caminhando até achar alguma coisa. Alguns moradores, surpresos por nos verem andando na rua, informaram que era perigoso andar por lá, que tinha muito assalto. Alguns minutos depois passou um táxi que nos levou até o centro de Itaparica. Lá conhecemos o centro histórico e almoçamos na Marina, um lugar bem diferente do que tínhamos visto até então. Com relativa estrutura, bom calçamento e iluminação. Refrescamos-nos na Fonte da Bica e para ir embora só tínhamos duas opções, táxi ou as conduções ofertadas que ficam rodando o Centro Histórico. Pegamos uma condução, uma Kombi sem lanternas, sem cinto, sem trava na porta e sem parte do assoalho, tipo carro dos Flintstones.

 

O ferry boat é moderno, tem três andares, o primeiro para carros, o segundo para passageiros que vão sentados e tem acesso a lanchonete, banheiros e televisão e o terceiro que você pode observar a paisagem, com vento e sol no rosto. Não vale muito a pena conhecer a Ilha sem ter um objetivo concreto ou caso não vá para Morro de São Paulo por lá. Informações sobre horário você pode encontrar em: http://www.travessiasonline.com.br/

 

Ok, talvez tenhamos tido um dia ruim em um local roots com praias desertas, mas por ser tão famosa realmente esperávamos melhor estrutura e hospitalidade. A desinformação pode ser um atrativo quando procuramos destinos “exóticos”, porém um dos locais mais famosos da Bahia  merece um pouco mais de atenção à receptividade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s