Miami :: Everglades

Well I saw my baby walkin, with another man today, well I saw my baby walkin, with another man today. When I asked her “What’s the matter?” This is what I heard her say.
See you later alligator, after ‘while, crocodile.

Ok, a música de Bill Haley & His Comets não tem muita ligação com Everglades, mas só de falar em Alligator você já lembra da música. Não é mesmo? Como muito dos míticos símbolos dos EUA e principalmente da Flórida, temos a observação do simpático jacaré-americano como atração bem próximo a Miami. Se você não sabe a diferença entre aligator, jacarés, crocodilos não tem problema, tem que saber uma única coisa durante o passeio: “do not touch and don’t put your hands out of the airboat“. Foi com essa frase que fomos recebidos no Everglades Safari Park, cerca de 30 milhas de Miami Downtown.

Pelo que vimos, esse parque é o mais bonito e com melhor infraestrutura de todos que passamos. Mesmo sendo um dos últimos na SW 8th St, apresenta amplo bom estacionamento (gratuito) e preço justo (U$ 25 por pessoa). Eles são super simpáticos no atendimento, tentando falar em portunhol bem fácil de entender. A lojinha apresentou preços mais baixos nas lembranças do que as demais no caminho. Como chegamos cedo para tentar sair no primeiro grupo, queríamos tomar o café no local, mas não deu. Ponto falho é lanchonete, preços altos e com pouca opção de alimentação.

Como todos sabem, quase toda Flórida já foi um imenso banhado com mangues e vegetação fechada. Pouco restou, mas grande parte que do está preservado forma o Everglades National Park. Além da necessária preservação ambiental para manutenção da fauna e da flora local, o parque é importante porque quase toda água que abastece Miami vem dessa região.

É claro que os imensos canais abertos para possibilitar os passeios causam impactos ambientais negativos, mas como pudermos notar durante todo passeio e como foi falado pelo nosso “capitão-guia” parte da renda desses passeios é utilizada na preservação do parque. Não se sinta mal por estar ali no meio do mangue no habitat dos jacarés, garças a esses passeios, o parque se mantém.

Compramos nossos tickets e passamos pela portaria onde todos os funcionários estão uniformizados tipo escoteirinho ou guarda florestal estadunidense, com brasões, chapéu e tudo mais. Já na passarela ao nosso lado vimos o primeiro alligator, ali paradinho, como se posando para as fotos. Sim você fica meio bobo, é emocionante sim.

Embarcamos no airboat, aquelas tradicionais lanchas com enormes ventiladores atrás que impulsionam a lancha metalizada. Esse tipo de embarcação é utilizado em mangue, pois não revolve tanto o solo e não enrosca a hélice na água. Neste parque, as embarcações são grandes para mais de 30 pessoas, mas tivemos sorte, estávamos em grupo pequeno, o que facilitava para tirar fotos e aumentava o campo de visão.

O passeio dura de 30 a 40 minutos, o guia vai informando sobre os jacarés, sobre o habitat, respondendo as perguntas. É possível avistar diversos jacarés ao longo do caminho, sempre que o grupo ou o guia visualizam um. O guia para bem pertinho ou diminui bem a velocidade, assim as fotos ficam boas e conseguimos ver os animais. Além dos jacarés também é possível ver diversos pássaros, tartarugas e às vezes, cobras. É sol na cabeça o tempo inteiro, quando o barco esta devagarzinho é bem quente, por isso, muita água e protetor na mochila.

Ao final do passeio de barco desembarcamos e vamos direto a um galpão com uma área cercada no centro, com alguns jacarés, crocodilos e tartarugas. Outro “escoteirinho” entrou pela lateral com uma cobra Piton nas mãos. Explicou um pouco sobre a introdução de espécies exóticas na região e depois entrou na área central para dar comida aos animais, inclusive aos crocodilos e fez um pequeno show de uns 5 a 10 minutos.

Depois deste pequeno show, é possível tirar fotos com cobras e filhotes de jacaré. O valor varia entre U$5 (ao lado) e U$10 (segurando).

Existe também um pequeno zoológico com algumas aves e diversas espécimes de jacarés, crocodilos e tartarugas de várias partes do mundo.

Fomos no final do período de seca, por isso não pudemos ir até o final dos canais deste safári. O lado negativo é que não chegamos até o lago principal onde tem vegetação mais bonita. O lado positivo é que vimos mais jacarés nas margens. O passeio todo dura em torno de duas horas, é muito divertido, educativo. Recomendamos!

Para mais informações: http://www.evergladessafaripark.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s